Tomasz Wiech KrakowÓbidos estará representado, na Polónia, de 4 a 10 de junho, na Reunião Anual da Rede de Cidades Criativas da UNESCO. O encontro vai acontecer em duas cidades polacas, Cracóvia e Katowice, e vai juntar delegados de quase 200 cidades de todo o mundo para participar em debates, sessões plenárias, workshops, atividades culturais, entre outras iniciativas. O tema da conferência “Creative Crossroads” irá explorar oportunidades para inovações que nascem de cooperação e colaboração entre setores.

Até hoje, esta reunião anual foi realizada em cidades como Chengdu (China), Kanazawa (Japão), ou Östersund (Suécia). O que distingue a próxima cimeira são os esforços combinados de Cracóvia (Cidade da Literatura) e Katowice (Cidade da Música) para organizar este prestigiado encontro. Esta será a primeira vez que duas cidades da rede coorganizam o evento.

Durante quase uma semana, os delegados participarão em sessões plenárias formais, que abordarão questões como o desenvolvimento estratégico da Rede, reuniões e workshops de subgrupos em cada campo criativo (cinema, música, literatura, media, design, gastronomia, artesanato e arte popular).

O Creative Cities Network é um programa da UNESCO, lançado em 2004, com o objetivo de promover a cooperação entre as cidades que baseiam as suas estratégias de desenvolvimento sustentável na economia criativa.

Recorde-se que a UNESCO classificou, dia 11 de dezembro de 2015, Óbidos como fazendo parte da rede mundial de Cidades Criativas da Literatura. Um reconhecimento que Humberto Marques, presidente da Câmara Municipal de Óbidos, enaltece, pois “é um galardão que mostra que vale a pena acreditar”.

Óbidos é uma vila literária. O objetivo de envolver as pessoas e o património neste processo de desenvolvimento de um território criativo, em que a literatura se torna uma alavanca de desenvolvimento económico e social, fizeram deste sonho algo ainda maior. O projeto Óbidos Vila Literária é uma estratégia de desenvolvimento sustentável e criativo do território e permite demonstrar que é possível considerar agendas alternativas de desenvolvimento cultural em cooperação direta com a economia e até a reabilitação urbana.

- Press Release (PDF)

- Annual Meeting (PDF)

Notícias

next
prev